NOTÍCIAS

 
Governo coloca policiais contra policiais para 
dar falsa sensação de segurança para a população

12/01/2016 17:00

A Associação de Praças de Pernambuco  (ASPRA- PE) está chocada com mais uma atitude constrangedora do Governo do Estado.  Em visita a Ilha de Itamaracá,  o presidente José Roberto Vieira, o diretor Luciano Falcão e a advogada Jackeline Acioli flagraram dois PMs sendo forçado a utilizar a cobertura  (boné) de cor laranja, ou seja, a mesma do PJEs. O objetivo é dar a entender que ainda existem policiais no PJES, além de passar uma falsa sensação de segurança. 


“O problema foi que o uso da cobertura na cor laranja trouxe constrangimento para os policiais que foram abordados por companheiros que achavam estar havendo traição ao movimento  tropa” conta José Roberto. Além de Itamaracá, a equipe esteve em Itapissuima, Igarassu,  Abreu e Lima e Janga, passando pela Penitenciária Barreto Campeão, Penitência Agrícola e vários núcleos.  A meta é conversar com a tropa, dar orientações jurídicas, fazer levantamento sobre as condições de trabalho e acompanhar a operação padrão. Na região Norte, a entrega do PJES chega aos 100%.

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

 
SEM LUTA NÃO HÁ CONQUISTA
VOCÊ DÁ A VIDA PELA SOCIEDADE E NÓS DAMOS A VIDA POR VOCÊ

09/01/2017  14:00

Há exatos um mês, a sociedade pernambucana vem sendo vítima da queda de braço que o Governo do Estado vem travando com as entidades representativas. Mesmo sabendo das dificuldades que enfrentaria, a diretoria da Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA – PE) NÃO FOGE À LUTA e esteve presente em todos momentos. 


O resultado da nossa dedicação: é o bloqueio da conta, pedido de prisão das lideranças, diretores respondendo a IPM e corte do desconto em folha mas isso não vai nos intimidar.  Dezenas de funcionários dependem dessa verba, principalmente nossos advogados. Querem nos matar à míngua mas temos certeza que os policiais e bombeiros militares não vão deixar. Sendo assim, pedimos o apoio da tropa. É HORA DE MOSTRARMOS FORÇA E UNIÃO! 
Pedimos a todos  para deixar o valor correspondente em suas contas para que, dessa forma, possamos garantir o mínimo necessário para dar CONTINUIDADE AO NOSSO TRABALHO!


Pedimos para que os associados liguem para a ASPRA- PE para confirmar suas contas pois nem todos  a forneceram na ficha de filiação. Por  erro do sistema bancário no desconto está (Asppe) Associação dos Sub Tenentes e Sargentos, quando deveria ser (ASPRA -  PE) Associação de Praças, mas  podem depositar que estamos corrigindo isso.
Os não associados que desejarem ajudar podem fazer transferência ou depósito na seguinte conta: 

 

ASPRA Pernambuco 
Banco: Bradesco
Agência: 2992
Conta: 31765 - 9
No valor de R$ 35, referente a uma mensalidade da ASPRA-PE. 
 
Não vamos desistir da tropa!
Não desista da ASPRA – PE                        

 
SEM LUTA NÃO HÁ CONQUISTA
VOCÊ DÁ A VIDA PELA SOCIEDADE E NÓS DAMOS A VIDA POR VOCÊ

09/01/2017  09:00

Há exatos um mês, a sociedade pernambucana vem sendo vítima da queda de braço que o Governo do Estado vem travando com as entidades representativas. Mesmo sabendo das dificuldades que enfrentaria, a diretoria da Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA – PE) NÃO FOGE À LUTA e esteve presente em todos momentos. 


O resultado da nossa dedicação: é o bloqueio da conta, pedido de prisão das lideranças, diretores respondendo a IPM e corte do desconto em folha mas isso não vai nos intimidar.  Dezenas de funcionários dependem dessa verba, principalmente nossos advogados. Querem nos matar à míngua mas temos certeza que os policiais e bombeiros militares não vão deixar. Sendo assim, pedimos o apoio da tropa. É HORA DE MOSTRARMOS FORÇA E UNIÃO! 
Pedimos a todos  para deixar o valor correspondente em suas contas para que, dessa forma, possamos garantir o mínimo necessário para dar CONTINUIDADE AO NOSSO TRABALHO!


Pedimos para que os associados liguem para a ASPRA- PE para confirmar suas contas pois nem todos  a forneceram na ficha de filiação. Por  erro do sistema bancário no desconto está (Asppe) Associação dos Sub Tenentes e Sargentos, quando deveria ser (ASPRA -  PE) Associação de Praças, mas  podem depositar que estamos corrigindo isso.
Os não associados que desejarem ajudar podem fazer transferência ou depósito na seguinte conta: 

 

ASPRA Pernambuco 
Banco: Bradesco
Agência: 2992
Conta: 31765 - 9
No valor de R$ 35, referente a uma mensalidade da ASPRA-PE. 
 
Não vamos desistir da tropa!
Não desista da ASPRA – PE                        

 
Tropa é proibida de doar sangue e realiza ato publico no IHENE

29/12/2016 14:00

Até onde vai o radicalismo do Governo do Estado? Numa atitude inédita e totalmente sem precedentes, a Policia Militar e o Corpo de Bombeiros proibiram a tropa de fazer doação de sangue. Em protesto, PMs e BMs estarão no IHENE e realizam no próximo dia 31, doação coletiva. A convocação é da Associação de Praças de Pernambuco ( ASPRA- PE). Será a partir das 8H da manhã. Fica na Rua Tabira, próximo ao Corpo de Bombeiros.


Para o presidente Jose Roberto Vieira, mais uma vez, o Governo, através dos comandos, esta promovendo um deserviço e mais uma vez a sociedade é prejudicada. “Num período do ano que mais clamam por doações de sangue, os profissionais que mais suprem essa carência são proibidos de atos voluntários “Aqueles que fizerem a doação de sangue, serão devidamente responsabilizados pelo descumprimento de ordens em ato de serviço, conforme a legislação militar vigente”, diz a portaria. 
"Não temos e não vamos aceitar mais uma intimidação por parte deste governo autoritário e ditador. Já esta passando dos limites”, protesta Jose Roberto. Quem DOA SANGUE, DOA VIDA. É um ato voluntário e de amor ao próximo, previsto na Constituição e considerado um ato de louvor para os militares. Impedir a doação é um ato no mínimo, desumano.

 

LEI Nº 1.075, DE 27 DE MARÇO DE 1950.

Dispõe sôbre doação voluntária de sangue. 

   O PRESIDENTE DA REPÚBLICA , faço saber que o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono a seguinte Lei: 
   Art 1º Será consignada com louvor na fôlha de serviço de militar, de funcionário público civil ou de servidor de autarquia, a doação voluntária de sangue, feita a Banco mantido por organismo de serviço estatal ou para-estatal, devidamente comprovada por atestado oficial da instituição.

A ASPRA – PE mais uma vez apoia a tropa em mais um ato público  contra essa ditadura que vem sendo instalada no estado. A Operação Padrão continua com força total. Os cargos de PJEs foram entregues e as funções irregulares de motoristas também. “Somos a voz da tropa e não vamos nos calar” , conclui Jose Roberto.

ASPRA – PE pronta para o diálogo.

23/12/2016 13:00

A Associação dos Praças de Pernambuco (ASPRA – PE)  vem a público, mais uma vez, lastimar a falta de diálogo com o Governo do Estado. Após a reunião no Comando Geral da PMPE, realizada na última quarta-feira, a ASPRA – PE tinha esperanças da retomada das negociações  aconteceriam nessa sexta-feira (23) , quando estava prevista a realização de uma reunião com o Secretário de Defesa Social. De uma hora para a outra, as portas foram novamente fechadas.  Falam que as discussões só acontecerão com os coronéis. “Ora, toda essa situação surgiu pela insistência do Governo em deixar as associações de fora. Se a tropa quisesse ser representada pelo oficialato, não existiria associações”, questiona o presidente da ASPRA – PE, José Roberto Segundo ele, a ASPRA – PE  continua no aguardo da retomada das negociações. “Não somos nós que estamos fechando as portas”, conclui.

 

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

VOCÊ DÁ A VIDA PELA SOCIEDADE E NÓS DAMOS A VIDA POR VOCÊ.

22/12/2016 12:00

De um lado: 
Intransigência, perseguição, radicalização.
 
Do outro: 
Luta pela Valorização, desejo de diálogo, esperança.
 
Há quase 15 dias, a sociedade pernambucana vem sendo vítima da queda de braço que o Governo do Estado vem travando com as entidades representativas. Mesmo sabendo das dificuldades que enfrentaria, a diretoria da Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA – PE) NÃO FOGE À LUTA e esteve presente em todos momentos. 
O resultado da nossa dedicação: processos para prisão das lideranças, multa de R$ 100 mil exclusão da Guarda Patrimonial e agora o bloqueio da conta.  Dezenas de funcionários dependem dessa verba, principalmente nossos advogados. Querem nos matar à míngua mas temos certeza que os policiais e bombeiros militares não vão deixar. Sendo assim, pedimos o apoio da tropa. É HORA DE MOSTRARMOS FORÇA E UNIÃO! 
Sendo assim, vamos cobrar agora a mensalidade no décimo terceiro de maneira que pedimos a todos de deixar o valor correspondente em suas contas para que, dessa forma, possamos garantir o mínimo necessário para dar CONTINUIDADE AO NOSSO TRABALHO!
 
Não vamos desistir da tropa!
Não desista da ASPRA - PE

 
NOTA DE REPUDIO DA ASPRA- PE

15/12/2016 16:00

A Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA-PE), através do presidente José Roberto Vieira,vem à publico lamentar profundamente mais uma decisão equivocada do Governo do Estado, através do Tribunal de Justiça de Pernambuco.  É mais uma mostra da falta de habilidade dos nossos administradores quanto ao clamor dos policiais e bombeiros militares por melhores condições de trabalho. 


Ora, a própria imprensa noticiou que “O desembargador José Fernandes Lemos, do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), determinou que associações militares "se abstenham" de realizar assembleias para tratar sobre greve”. Em nenhum momento, a Assembléia Geral realizada na sexta, dia 09, tratou sobre greve. A única deliberação foi uma caminhada até o Palácio do Governo. Sendo assim, não houve descumprimento de decisão judicial e, portanto, não há motivos para cobrança de multas. 


Mais uma vez, a tropa, em especial os associados e funcionários da ASPRA – PE, será lesada pela iniciativa impensada do Governo. Nossa entidade é reconhecida por prestar serviços essenciais aos seus associados, através da realização de parcerias com empresa para a oferta de planos de saúde, odontológico. Tudo isso demanda uma equipe de funcionários, pais e mães de família, que serão prejudicados com a falta de pagamento do salário dos mesmos, devido ao bloqueio das contas.


Que democracia é essa, que prende trabalhadores, que caça férias, que obriga os profissionais a  trabalharem na sua folga como se escravos fossem? Que  solicita prisão preventiva dos trabalhadores, que proíbe-os de se reunirem, que ameaça, que assedia. Afinal policiais e bombeiros são o que? 


A nós, enquanto entidade, só nesta recorrer a Justiça para comprovar que não comentemos crime algum e que apenas exercemos o nosso direito de livre associação, como está previsto na Constituição Federal em seu artigo 5°, de onde destacamos: 
 
- XVI - todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente;
 
XXI - as entidades associativas, quando expressamente autorizadas, têm legitimidade para representar seus filiados judicial ou extrajudicialmente

 
Líder de movimento dos militares é excluído da
Guarda Patrimonial e pode ser preso a qualquer momento.

15/12/2016 13:30

Continuam as retaliações por parte do Governo do Estado. O presidente da Associaçao de Praças de Pernambuco (ASPRA-PE), Jose Roberto Vieira,) acaba de ser excluído da Guarda Patrimonial. Além disso, o promotor acaba de solicitar novamente a prisão do mesmo. Apesar de toda a pressão o movimento continua.

 
Juiz anula decretação de prisão preventiva do presidente da ASPRA - PE

12/12/2016 20:00

A Justiça foi feita! O presidente da Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA – PE), José Roberto Vieira, respira aliviado após decisão do Juiz de Direito da Justiça Militar, Dr. Luiz Cavalcanti Filho, em ser desnecessária “a segregação cautelar do indiciado”, anulando a decretação de prisão preventiva expedida para o bombeiro. 


José Roberto é um dos líderes do movimento da categoria e estava no trio elétrico na última sexta-feira (09), mas não chegou a ser preso. Mesmo assim, assim como ameaçou o secretário de Defesa Social, Ângelo Gioia, novas prisões preventivas foram decretadas e o presidente da ASPRA – PE já estava na expectativa.    


Ao concluir sua decisão, o Juiz diz que “abstraindo a técnica jurídica, espero, sinceramente, que o espírito de confraternização universal que se avizinha, proteja a todos nós”. Numa provável alusão a queda de braço entre o Governo do Estado para com as entidades representativas dos militares estaduais. Afinal, qual o crime cometido pelos líderes das associações?


O princípio da liberdade de associação assegura a liberdade de reunião e associação pacífica de um grupo de pessoas agregadas por objetivos comuns. A Liberdade de reunião é a liberdade ou direito que as pessoas têm de se reunir em grupos, encontros, clubes, manifestações, desfiles, comícios ou qualquer outra organização que desejem. É considerado um direito fundamental nos regimes democráticos. 


Ao empregador incumbe zelar pela segurança de seus empregados, mediante o cumprimento das obrigações previstas nas normas de segurança e medicina do trabalho, sob pena de arcar com indenização decorrente de sua omissão. Portanto, é crime o não fornecimento de equipamentos de proteção individual (EPI) aos policiais e bombeiros militares, bem como obrigar que os mesmos trabalhem com coletes vencidos, armamento obsoleto e viaturas com pneus carecas. 


A Operação Padrão nada mais é do que um apelo para que os direitos dos operadores de segurança sejam respeitados. Como é possível jogar nas ruas profissionais que colocam a própria vida em risco para garantir a vida do cidadão pernambucano. Há algo de errado no Sistema de Segurança Pública de Pernambuco mas , de fato, o erro não é da tropa

 
Seguem abaixo copia do Mandado de Prisão e a decisão do Juiz

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

Nada mudou: Operação Padrão e não ao PJEs

11/12/2016 17:00

Passadas 24 horas, o clima dentre os policiais e bombeiros militares pernambucanos ainda é de incredulidade. Nunca na história do Brasil, associações representativas foram proibidas de reunirem seus associados para uma Assembléia Geral. A Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA-PE) contra tudo e contra todos mostrou que a tropa é soberana e tem liderança. A Operação Padrão continua e os PMs e BMs continuam entregando seus PJEs. Nada mudou. 


A mesa de negociações foi aberta entre o governo, oficiais e associações. Continuamos lutando pelo reajuste salarial, que ficou para ser analisado em fevereiro. Então, até fevereiro, policiais e bombeiros exercerão seus direitos de só agir dentro da legalidade. “O governo fez de tudo pra estourar a greve, mas, sensatamente, não entramos no jogo dele. A entrega do PJEs e a Operação Padrão está dando resultado”, garante o presidente da Associação de Praças, José Roberto Vieira. Ainda ontem, também chegou o pedido de prisão preventiva dele.
 
José Roberto lamenta a prisão dos companheiros, o que só acirrou os ânimos e aumentou ainda mais a insatisfação da tropa. Além disso, também foi lastimável a tentativa do Governo de colocar tropa contra tropa. “Se um ganhar aumento, todos ganham. Estamos lutando pela melhoria salarial de todos. Não há motivos para divisões”, questiona José Roberto sobre as intervenções do CIOE, Choque durante o percurso da caminhada. “Peço desculpas, Coronel, mas nós vamos seguir pacificamente”, disse José Roberto. 
 
Enquanto isso, o diretor Luciano Falcão foi pessoalmente, até o oficial. Infelizmente, essa situação foi gerada pelo próprio Governo do Estado que, desde o primeiro movimento não quis receber as associações, trazendo transtorno para toda a sociedade. “O que fizemos foi mostrar que não adianta tapar o sol com a peneira. A tropa está insatisfeita e cansada da falta de valorização profissional. Proibir assembleia e prender líderes pode tentar inibir algumas ações mas os problemas continuam”, conclui José

 

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

 
Bombeiros sofrem assédio moral

11/12/2016 16:00


A denúncia é grave e foi encaminhada a Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA – PE).  Bombeiros do Grupamento Marítimo (GBMar) estão sofrendo assédio moral por parte do oficialato daquela unidade, através de ameaças sobre a participação nos movimentos da categoria que apenas está lutando por melhores condições de trabalho e a  devida valorização profissional. 

Há poucos meses, a ASPRA – PE apresentou através da mídia todas as deficiências o GBMar, as mortes sofridas por falta de efetivo, falta de equipamentos, o que coloca em risco a própria população. Diante das dificuldades, o bombeiros aderiram a Operação Padrão de sair para trabalhar apenas com as condições necessárias também disseram não ao PJEs. 

“Gostaríamos de informar a sociedade pernambucana que apenas estamos querendo condições dignas de trabalho. Não deixamos de trabalhar e nem estamos fazendo nada errado. A Justiça já proibiu a não fazer greve, mas não nos proibiu de não vendermos nossas horas de folga e de nem trabalharmos sem condições dignas”, conclui o presidente da ASPRA – PE, José Roberto Vieira. 

A ASPRA – PE recebeu a informação de que na segunda-feira, haverá uma reunião geral no GBMar, a fim de pressionar os bombeiros a irem trabalhar, mesmo sem as devidas condições.

 
NOTA DE REPUDIO DA ASPRA - PE
08/12/2016 14:00

A Associaçao de Praças de Pernambuco (ASPRA – PE) vem a público repudiar as declarações da Associaçao dos Bombeiros Militares (ABM-PE). É de conhecimento no âmbito militar que a referida entidade, de fato, não tem legitimidade para representar a tropa pois não possui sede e nem mesmo  associados. Tambem não possui diretoria e seu presidente nem mesmo participou da Assembleia Geral da categoria, realizada na última terça.


É lamentável que, num momento em que a maioria da tropa deu sua resposta nas ruas, uma única pessoa tente desacreditar nosso movimento e tentar denegrir as imagens das associações, repassando informações equivocadas. As imagens do movimento realizado são a prova da insatisfação da categoria e muitos dos presentes eram bombeiros. Quem esteve na Praça Derby  sabe da nossa verdade.

A ASPRA – PE  há anos representa policiais e bombeiros militares e muitos desses bombeiros estão nos ligando, indignados com a postura dessa dita associação. 


 99% DO EFETIVO DO CBMPE NÃO É REPRESENTADO POR ESSA "ABMPE",  O RESTANTE  DE FORMA UNÂNIME RIDICULARIZA A POSTURA DESSE GRUPO QUE DIZ REPRESENTAR O CBMPE, NÃO COMPACTUAMOS COM ESSA POSTURA COVARDE, PORTANTO AMIGOS E IRMÃOS DA POLÍCIA ESTAMOS JUNTOS NESSA LUTA


Estamos todos  envergonhados de um posicionamento de um companheiro de farda. Amanhã, estaremos novamente nas ruas lutando pelos nossos direitos.


BOMBEIROS, vistam vermelho e compareçam amanhã, as 14h, na Praça do Derby. 


MESMO COM ESSA TIRANIA, NENHUM PASSO DAREMOS ATRÁS. 

Jose Roberto Vieira – Sargento bombeiro e presidente da ASPRA- PE

 
Policiais adere ao movimento

07/12/2016 15:00

E os policiais e bombeiros militares estão aderindo a Operação Padrão e a saída do PJES (Jornada Extra). A Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA – PE) passou o dia acompanhando as ações da tropa e comemora a adesão total do 11° BPM. O presidente José Roberto Vieira e o diretor Lucas, acompanhados da Dra. Jaqueline, estiveram na sede daquela unidade para conversar com a tropa e proporcionar todo o apoio necessário. Na parte da manhã, houve resistência por parte do sub comando do batalhão, mas a ASPRA – PE foi dar cobertura a tropa.                        

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

 
Deliberações da Assembleia da tropa

06/12/2016 14:00

Uns falam em 10 mil. Outros, em 5 mil. O fato é que policiais e bombeiros militares não fugiram à luta e lotaram as Ruas do Recife numa manifestação pacifica e ordeira. A  Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA -PE) está orgulhosa da participação de todos e espera que ainda mais PMs e BMs compareçam na próxima sexta-feira,  14h, na Praça do Derby, para novo movimento. Seguem algumas deliberações :

A  partir de amanhã, na primeira chamada, a OPERAÇÃO PADRÃO e saída de todos do PJES, e que o governo terá até a próxima sexta-feira para dar uma resposta sobre a pauta de reivindicações.

OPERAÇÃO PADRÃO:

1- Soldados e Cabos NÃO comandam viatura.

2- Viatura com HT com problemas NÃO sairão dos quartéis.

3- Viaturas com Rotan quebrado NÃO sairão  dos quartéis.

4-Viatura com documento atrasado NÃO sairão dos quartéis.

5-Toda e qualquer ocorrência deve OBRIGATORIAMENTE ser encaminhada para a DP da área, NÃO podendo ser resolvido no local, pois quem resolve ocorrência são os policiais civis, os militares fazem apenas a condução.

6- NÃO sair com coletes vencidos, a vida do policial vale muito, todos devem verificar a validade do colete ao recebê-los da RMB antes do serviço. 

7-Motorista que não tiver o curso de direção defensiva NÃO pode dirigir Viatura conforme a lei. 

 

Para os BMs


1 - Roupa de aproximação vencida não utilizar,
2 - verificar validade dos os EPR,
3 - O Gbmar verificar protetor, óculos, camisa UV
Seguindo os passos acima, TODOS DENTRO DA LEGALIDADE e saindo do PJES, essa foi a DELIBERAÇÃO da tropa junto as associações. 

Na próxima sexta mais uma assembleia geral na praça do Derby às 14h para receberem a resposta do governo e deliberarem os próximos passos.

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

Comandantes Gerais da PM e Bombeiros ameaçam a tropa de punição
05/12/2016 13:00

A polêmica está no ar! A Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA-PE) acaba de tomar conhecimento, através de denúncias, de que policiais e bombeiros militares estão sendo ameaçados para que não participem da Assembléia Geral da categoria, prevista para acontecer amanha (06.12), às 14 horas, na Praça do Derby. 
 
“Soubemos que está havendo uma campanha de desmobilização por parte dos comandantes gerais, determinando que os comandantes de batalhões e grupamentos orientem seus efetivos a não comparecerem a assembleia, sob pena de punição”, conta o presidente da ASPRA – PE, José Roberto Vieira. Segundo ele tal atitude é perigosa, pois está causando revolta na tropa. “Isso não vai nos intimidar. Vamos lotar o Derby ,amanhã”, afirma José. 

 
 

“Não é possível que, nos dias atuais, em plena democracia, os militares de Pernambuco sejam tratados como se tivessem num regime ditatorial. O Governo está sendo arbitrário e quer retirar as associações da mesa de negociação permanente dos militares, negociando diretamente com os comandantes gerais que são cargos de confiança, portanto, não representam os interesses da tropa”, conclui o presidente da ASPRA – PE.  Ele destaca a Constituição Federal, em seu artigo 5°: XVI - todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente.

 

SE TIVER GREVE A CULPA É DO GOVERNO!

03/12/2016 15:10

Afirma presidente da ASPRA-PE José Roberto Vieira.


Se houver uma greve da Polícia e Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco, a culpa é da falta de habilidade do Governo do Estado. A Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA – PE) vem a público externar a sua insatisfação quanto ao tratamento concedido pelo governo às entidades representativas.

Há dois anos, desde a última greve da PMPE e CBMPE, foi criada uma mesa de negociação permanente dos militares estaduais com o objetivo de discutir as demandas da tropa, conforme pauta de reivindicações apresentadas ainda naquela época. Desde então, o governo está visivelmente empurrando problemas com a barriga. 

Após a mudança do secretário, a ASPRA – PE acreditava que finalmente as reuniões da mesa de negociação fossem devidamente retomadas. Afinal, são as associações que têm legitimidade para representar e lutar pelos interesses da tropa. Se não fosse assim, elas não teriam surgido. No entanto, o Governo mais uma vez não respeitou as entidades e passou a negociar somente com os comandos. 

Nada contra os coronéis, mas quem fala pela tropa são as entidade representativa de classes. Para que então foi criada a mesa de negociação? Até agora, nada do que pedimos foi atendido. O Hospital da PMPE está cada vez mais sucateado, continuamos sofrendo com o excesso de carga horária de trabalho, falta equipamento de trabalho, a Guarda Patrimonial está abandonada a própria sorte, os bombeiros sofrendo para dar conta do serviço sem a menor estrutura.


Quem sofre é a sociedade que vive sendo enganada pelo Governo mas percebi, na prática, que algo está errado. Como podemos conter a escalada da violência se não nos dão as mínimas condições de trabalho? É hora de mostrarmos nossa força! Vamos lotar a Praça do Derby e as ruas do Recife na próxima terça-feira, dia 06, a partir das 14 horas e mostrar a esse governo que temos força. A Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA-PE) convida a todos os policiais e bombeiros militares para a Assembléia Geral sobre a nossa proposta salarial. Não vamos abrir mão da nossa representatividade. Vamos a luta como sempre fizemos.

REUNIÃO COM OS CORONÉIS

03/12/2016 16:00

GATO ESCALDADO TEM MEDO DE ÁGUA FRIA!


Na tarde do dia 1 de dezembro,  a associação de praças ASPRA-PE  através dos diretores, Salatiel Berto, Lucas e Paulo Aquino, participaram de reunião com os comandos da PMPE e do CBMPE. Porque não vimos  a pauta dos coronéis, que já tiveram várias reuniões com o governo?


 “A ASPRA – PE não vê com bons olhos o reforço na negociação dos coronéis junto ao governo do estado. Juntos somos realmente fortes mas as associações querem ouvir a tropa para a elaboração das propostas”, afirma José Roberto. Os coronéis convocaram essa reunião para apresentar a proposta deles mas ela já foi encaminhada ao Governo. Será que podemos confiar? 
 
Na reunião foi sugerido que, até o dia 07, as entidades representativas encaminhem suas propostas para que possam ser anexadas às dos oficiais e apresentadas a Secretaria de Defesa Social e ao Governo do Estado. Também estiveram presentes, o Deputado Joel da Harpa, advogados, e lideres de outras associações. A informação é que o cenário é positivo se fizermos diferentes e que é fato de que todas as associações vivem na busca de uma melhoria. Vamos a luta como sempre fizemos.

 

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

ASPRA – PE tem reunião com novo secretario de Defesa Social.

21/11/2016 15:20

A semana começou cheia de expectativas.  Diretores da Associação de Praças de Pernambuco ( ASPRA -PE) estiveram na manhã desta segunda-feira (21) com o novo secretário de Defesa Social, Angelo Gioia. Foi a primeira de muitas reuniões que devem acontecer na tentativa de garantir melhores dias para a família policial e bombeiro militar. Participaram da reunião, o presidente da ASPRA- PE, José Roberto Vieira, os diretores Salatiel Berto, Marcos Galindo e Lucas. Todos aproveitaram a oportunidade para apresentar um panorama geral da realidade da tropa. Em destaque, especialmente as mudanças do Sismepe, carga horaria do POGV, CFOA e a Guarda Patrimonial (Confira abaixo os detalhes).
 
CFOA
 
A ASPRA - PE solicitou que fossem preenchidos todos os claros existentes e não apenas metade como foi divulgado. Uma vez que foi criada muita expectativa nesse curso e a lei autoriza preencher todas as vagas, não havendo motivos para preencher apenas metade. Estão convocando apenas 90, quando existem180 vagas pra CFOA
 
SISMEPE
 
Levamos todos os anseios da tropa no tocante ao Sismepe. Mostramos ao secretário os pontos que mais incomoda a tropa. Destacamos o valor do desconto que ultrapassa a casa dos 300%; o percentual repassado pelo Governo, que reduz o percentual dele e o aumento de forma exorbitante para praça; o desconto em forma de valores ao invés de percentual, trazendo assim distorções ( quem ganha mais paga menos e quem ganha menos, paga mais). Os planos que estão fazendo analogia são valores de planos individuais e não empresariais.
 
GUARDA PATRIMONIAL
 
Falamos sobre a insatisfação da Guarda Patrimonial, especialmente sobre os valores da gratificação que é inferior a um salário mínimo. Relatamos o último movimento que foi deflagrado pela Guarda Patrimonial e da covardia que fizeram com a exclusão de 10 companheiros da guarda e, nesse momento, pedimos ao secretário que revisse essa arbitrariedade administrativamente. Questionamos ainda sobre a situação nos posto da guarda onde a segurança e feita apenas por um homem, o que é um absurdo.
 
POGV
 
Sobre o POGV, cobramos a redução da carga horária, pois a mesma está escravizante, não dando condições do militar ter um descanso e lazer com sua família, trazendo assim várias doenças como depressão, pressão alta e etc...Pedimos ainda que sejam revistos os horários de largada, haja visto que existe alguns pontos que estão sendo liberados as duas da manhã. Pedimos ainda o aumente do valor da gratificação.
 
DIÁRIAS
 
Solicitamos os pagamentos das diárias atrasadas e que tudo seja regularizado para que os militares tenham condições de se manter com elas e não tirar do bolso os poucos recursos que possuem já que não há previsão de receber. 
 
“Foi um momento de apresentação para ambos os lados. O fato é que estamos começando da estaca zero”, conta o presidente Jose Roberto Vieira. O novo secretário anotou todos os pontos e já deixou pré – agendada uma nova reunião para os próximos dias, conforme data a ser escolhida pela ASPRA – PE, além de garantir que faz questão de encabeçar as discussões sobre o Sismepe. “Vamos elaborar algumas propostas e encaminhar. Saímos com esperança de que pelo menos, dessa vez, seremos ouvidos. Somos a favor do diálogo e precisamos evoluir, pois a tropa não aguenta mais tanto sofrimento”, conclui José Roberto.                       

 

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

 
REUNIÃO NO CENTRO DE CONVENÇÕES COM O EFETIVO DO QCG SOBRE O SISMEPE.

17/11/2016 14:00

Policiais lotaram o centro de convenções na tarde desta quarta feira (16/11, eles atenderam ao convite da Diretoria de Apoio ao Sistema de Saúde ( dado ) para uma palestra sobre as mudanças no SISMEPE. A Associação de Praça de Pernambuco - ASPRA-PE esteve presente a reunião através do Presidente José Roberto Vieira e os diretores Paulo Aquino e Lucas, "viemos ouvir a opinião da  tropa sobre o tema.
 
Segundo José roberto, apesar de todas as explicações do Chefe do Dassis, Everaldo, e o diretor do Hospital, Dr. Sildo, a  diretoria da ASPRA-PE conversou com vários PMs que estavam presentes na reunião e eles  não concordaram com a proposta com nova regra de contribuição. “Vemos que o governo quer repassar toda responsabilidade para nós policiais e bombeiros militares. Se a contribuição do governo para o hospital é de 70%,  a nossa de 30%, ela deve permanecer. E não cair para 50%! Sabemos da importância do nosso hospital, mas não vamos aceitar propostas não condizentes com nossa realidade, como por exemplo: desconto por idade”, explica José. 
 
Para ele, esse modelo para planos de saúde, o nosso é contribuição. “Então, entendemos que os descontos, por idade, fogem da nossa regra atual. Isso vai beneficiar  apenas os oficiais, esse é o sentimento da tropa. Quando é para receber o salário, é por percentagem e quando é para contribuir, como no caso do hospital, a contribuição é linear”, questiona José Roberto. A proposta do SISMEPE é: quem ganha mais, contribui menos. Quem ganha menos, contribui mais.  Foi assim que fizeram com o risco de vida! A obrigação é do governo. Se quiser ter uma segurança de melhor qualidade, dê  tratamento digno a saúde dos policiais e bombeiros militares.
 
A ASPRA – PE quer uma comissão formada por oficiais e praças, para que haja transparência no sistema. ”Em 2006, houve essa mesma questão,  mas através da luta da ASPRA-PE, na época ASSPE , não deixamos passar o projeto da forma que estava. Vamos fazer o mesmo com o projeto atual! De acordo com o DASSIS, há muitas reclamações, mas ninguém apresentou uma contra proposta. Então, vamos apresentar emendas ao projeto”, explica José Roberto.
 
Aconteceram várias reuniões provocadas pela ASPRA-PE, nos anos de 2014 e 2015. Todas sem sucesso. Nessas reuniões, as nossas sugestões nunca foram aceitas. Segundo José Roberto, o Estado de Minas Gerais, lá só contribui o titular. Se compararmos com esse projeto atual o soldado com 04 filhos terá um reajuste em suas mensalidades de mais de 300%! “Se esse projeto não mudar, vamos lutar, como fizemos em 2006, quando ainda éramos ASSPE, conclui José Roberto.                        

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

 
ASPRA – PE apresenta ao Ministério Público denúncia 
sobre as condições de trabalho dos salva-vidas.

05/11/2016 08:40

Promessa é dívida. Preocupada com a precariedade das condições de trabalho dos bombeiros que atuam na orla marítima de Pernambuco, a Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA – PE) cumpre o seu compromisso de oficializar no Ministério Público, documento através do qual apresenta relatório sobre a vistoria realizada no mês de outubro. A entrega foi realizada nessa sexta – feira (04.11).
Os diretores Paulo Aquino e Salatiel Berto foram os responsáveis pela missão. “Fomos cobrados pelos bombeiros e pela imprensa sobre a necessidade de registrarmos tudo o que encontramos. Estamos apenas cumprindo o nosso papel enquanto entidade representativa que trabalha em defesa da tropa e ao mesmo tempo compreende que o atual cenário põe em risco a vida do profissional e da sociedade como um todo”, disse Salatiel Berto.

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

 
Conheça o novo projeto do Sismepe.

03/11/2016 09:00

A Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA – PE) acaba de receber a proposta de mudanças no Sismepe. “O documento explica direitinho qual a ideia deles. Leiam, avaliem e nos mandem sugestões”, diz o presidente da ASPRA – PE, José Roberto Vieira. Veja a tabela e as justificativas do CMH para o reajuste:

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

 
Proposta para recuperar Hospital da Polícia não teve
participação das associações.

02/11/2016 12:00

Após anos clamando por uma solução para salvar o Hospital da Polícia de Pernambuco, finalmente foi apresentada na tarde desta terça-feira (01.11), uma proposta de mudanças no Sistema de Saúde no Estado de Pernambuco (Sismepe). A Associação de Praças (ASPRA – PE) participou da reunião, através do presidente José Roberto Vieira e dos diretores Lucas e Luciano Falcão.
 
Todas as entidades representativas da tropa (ativos e inativos)participaram do evento  que foi liderado pelo Comandante Geral da PM, Carlos Alberto D'albuquerque Maranhão Filho, o subcomandante Adalberto Freitas Ferreira, membros do  Centro Médico Hospitalar – CMH, da Diretoria De Apoio Ao Sistema De Saúde – DASIS e o Deputado Joel da Harpa. 
 
Segundo o Comando Geral, os novos valores são o mínimo ideal para tentar recuperar o CMH. Assim que implantado, será possível renovar os convênios e começar a investir de imediato na estrutura daquela unidade hospitalar. “Menos do que isso, eles dizem que não será possível manter o Hospital e que o mesmo terá de ser fechado. A decisão caberá a tropa e a ASPRA – PE aguarda um posicionamento de todos”, conta José. A idéia é a realização de uma Assembléia Geral. 
 
“Sabemos da importância do nosso hospital mas não podemos pagar pelo erro dos outros. Estamos desde de 2014, com os nossos salários congelados e, por isso, a ASPRA – PE cobrou de imediato a reabertura da mesa de negociação junto ao Governo”, conta o presidente da ASPRA – PE. Ele acrescenta que “o problema é que não chamaram as associações para a elaboração da ideia. Nem sabíamos que ela estava sendo discutida. Simplesmente, a apresentaram ontem mas os valores não são compatíveis com a realidade dos praças e é uma decisão que deve ser tomada junto a tropa”, conclui José Roberto

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

 
Convênio ASPRA – PE Ortoclin tem novidades 
02/11/2016 08:00

Se você aderiu ao Plano Ortoclin através da Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA – PE), fique atento às novidades que serão implantadas nesse mês de novembro.

 

Confira:  

Sobre o desconto
A partir deste mês, os descontos em prol do plano serão realizados através de suas contas-correntes. Lembrando que o valor só é processado à noite, no dia do pagamento. Portanto, é preciso ter cuidado para evitar dívidas. 

 

Renovação do plano
No mês de novembro, completamos um ano de plano e haverá um pequeno reajuste no desconto que passará a ser de R$ 20,00 (vinte reais), por pessoa. Caso não haja interesse em permanecer, favor informar a ASPRA – PE para que os nomes sejam excluídos. 

 

Pendências
Se você deseja continuar usufruindo os serviços do Plano Ortoclin mas está com pendências quanto ao pagamento do mesmo, favor procurar a ASPRA – PE para a regularização dos débitos e evitar a sua exclusão. 
Qualquer informações ou dúvidas, basta ligar para o diretor da ASPRA-PE, Salatiel Berto, no fone: (81) 98745-5240

Direto de Minas Gerais
Proposta de Código de Ética é concluída.

28/10/2016 15:00

Missão cumprida! Acabou agora a pouco o XII Encontro Nacional de Entidades Representativas de Praças (Enerp). Durante três dias, policiais e bombeiros militares de vários estados brasileiros e de várias entidades de oficiais e praças elaboraram uma proposta de um Código de Ética, o qual deverá ser implantado para todos os policiais e bombeiros militares do Brasil. 


O presidente da Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA-PE), Jose Roberto Vieira e o diretor Luciano Falcão participaram de todas as etapas de construção do documento. Para José Roberto, os três dias foram muito importante para a troca de experiência e principalmente para conhecer de perto a realidade de Minas Gerais. “A PM de Minas é a mais evoluída quanto a humanização no tratamento. A pena de prisão administrativa já foi extinta”,  conta.


A missão agora é dar inicio às discussões sobre o Código de Ética nos estados e em Brasília. O X VII Enerp foi um momento histórico. Todos os participantes, ao final do trabalho, receberam certificado de participação do evento.

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

 
Direto de Minas Gerais
Começa votação de propostas para o Código de Ética

28/10/2016 12:00

Hoje (28) é o terceiro dia do XII Encontro Nacional de Entidades Representativas de Policiais e Bombeiros Militares (Enerp) começou com a avaliação e votação das propostas elaboradas durante todo o dia de ontem. A meta é avaliar ponto a ponto para que ao final do dia seja finalizado uma proposta única para criação do Código de Ética. A Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA -PE) está presente através do presidente José Roberto Vieira e do diretor Luciano Falcão. 


O evento é uma realização da Anaspra (Associação Nacional de Praças) em parceria com a AME Brasil, Anermb e Feneme. Participam policiais e bombeiros militares de Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte, Sergipe, São Paulo, Minas Gerais, Bahia e Santa Catarina. Dentre os temas discutidos, transgressões disciplinares, estabelecimento de normas relativas a sanções disciplinares, regulamentação do processo administrativo disciplinar e a criação de um conselho de ética.                        

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

 
Direto de Minas Gerais
Policiais e bombeiros continuam reunidos para elaboração
do Código Ética

27/10/2016 17:00

Eles não param. Já passam das oito da noite em Belo Horizonte (Minas Gerais tem horário de verão) e os policiais e bombeiros militares continuam no auditório da Associação de Praças de Munas Gerais. O presidente da ASPRA – PE, Jose Roberto Vieira, e o diretor Luciano Falcão estão presentes e participaram ativamente das atividades e dos grupos temáticos. 


José Roberto destacou a importância da troca de experiência entre os estados. Já Falcão sugeriu que fossem discutidos caminhos para que pudessem debater os temas entre a tropa. As atividades continuam amanhã com a apresentação de tudo o que foi discutido no dia de hoje e a elaboração da proposta final que servira como base para o Código de Ética.


Minas Gerais já tem um Código de Ética e por isso esta servindo de inspiração para a criação de um modelo nacional. Para se ter uma idéia, no estado de São Paulo não tem o Código e no ano passado, mais de 500 militares foram expulsos. Enquanto isso, em Minas Gerais, apenas 60 foram excluídos. A diferença esta nos critérios existentes no Código de Ética que acaba com a subjetividade para as punições, impondo parâmetros e normas a serem seguidas.

 

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

Direto de Minas Gerais
Policiais e bombeiros iniciam criação de código de Ética Nacional.
18/09/2016 12:00

Manhã de bastante trabalho hoje (27) na sede da Aspra Minas Gerais, dentre os policiais e bombeiros militares que participam do XII Encontro Nacional de Entidades Representativas. A meta é a construção de um Código de Ética Nacional, portanto, os participantes foram distribuídos em grupos temáticos para a troca de experiências e opiniões que ajudem na construção da proposta base. A Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA -PE) está presente através do presidente José Roberto Vieira e o diretor Luciano Falcão. 


Cada um participa de um grupo diferente. Segundo o vice-presidente da Anaspra, Heder, a ideia é buscar a interação com PMs e BMs dos mais diferentes estados. Os temas trabalhados são: Criação de um Conselho de Ética, Definir, Especificar e Classificar aa Transgressões Disciplinares, Estabelecer Normas Relativas à Sanções Disciplinares e Recursos. Estão presentes profissionais de Pernambuco, Bahia, Ceará, São Paulo, Santa Catarina, Minas Gerais, Sergipe e Rio Grande do Norte.


Também estão colaborando jornalistas e advogados com ampla experiência na área militar e que possam trazer um olhar mais humano para o trabalho dos policiais e bombeiros militares. Neste momento, foi dada uma pausa para o almoço servido aqui mesmo no local do evento para que não haja dispersão dos participantes e nem perda de tempo com a locomoção.

 

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

 
Mande sua opinião e colabore com a Construção do Código de Ética dos Policiais Militares do Brasil
24/10/2016 13:37

Atenção, policiais e bombeiros militares! Chegou a hora de vocês colaborarem com a Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA-PE) na construção de um novo Sistema de Segurança Pública. Entre quarta-feira (26) e sexta-feira (28), diretores da ASPRA – PE estarão em Belo Horizonte (MG) participando do 12° Encontro Nacional de Entidades Representativas de Praças (Enerp). O evento é promovido pela Associação Nacional de Praças (Anaspra).
Durante os três dias, a meta é debater e construir um modelo de Código de Ética para os policiais e bombeiros militares do Brasil. Sendo assim, pedimos a colaboração da tropa com o envio de sugestões, de idéias que possam ser levadas pela ASPRA – PE para o enriquecimento dos debates.  O presidente José Roberto Vieira quer saber a opinião de todos. Mandem e-mails para : joserobertovl@yahoo.com.br Ou mande mensagem de whats app para : (81) 98610-5595
“Não existe polícia cidadã, se o policial não for reconhecido pelo estado e pela sociedade. Dê a sua sugestão para o enriquecimento do evento”, pede José Roberto. O 12° Enerp terá a participação líderes de diversas entidades representativas, dentre elas, o ANERMB com o presidente Sgt. Leonel Lucas BMRS, a FENEME com o presidente Cel.PMSC Marlon Jorge Teza, e a AMEBRASIL, com o presidente Cel. PMSP Elzio Lourenço Nagali

 
Orla do Recife sem segurança para o verão
19/10/2016 00:00

Após o desfecho trágico do feriado de Nossa Senhora Aparecida na praia do Pina, Zona Sul do Recife, em que pai e filho morreram afogados, os postos dos bombeiros da orla passaram por uma fiscalização e o que a Associação de Praças Policiais e Bombeiros Militares de Pernambuco (Aspra-PE) encontrou está longe do ideal. A vistoria realizada em nove dos 11 postos constatou que dois deles estavam sem salva-vidas, quando cada um deveria ter no mínimo dois bombeiros. Em relação aos equipamentos usados em casos de afogamentos, só um posto, o 5, tinha o kit salva-vidas. As macas de resgate e outros materiais dos postos estavam desgastados. O problema se agrava principalmente na abertura do verão, em que a quantidade de banhistas aumenta. 

A vistoria foi feita entre a Pracinha de Boa Viagem e Brasília Teimosa pelos diretores da Aspra. O relatório será encaminhado ao Ministério Público de Pernambuco na próxima semana. A Folha de Pernambuco esteve na orla e ouviu banhistas, que consideram uma raridade ver salva-vidas. “Dizem que oferecem o serviço. Mas se a gente precisar só encontra fechado. Não tem sinalização, nem bandeira”, disse a diarista Lindiomar Farias.

A falta de efetivo parece mais grave em contraste com a distância de um quilômetro entre um posto e outro. “Quando um posto não funciona, são dois quilômetros sem cobertura. Vimos que não tem ambulância do próprio Grupamento de Bombeiros Marítimo. As boias de salva-vidas são todas precárias”, afirma José Roberto. Segundo o diretor, muitas das boias estavam sem corda (o material dá condição para sustentar até três pessoas) e as vestimentas dos bombeiros estavam desgastadas, sem proteção ultravioleta. Ele é bombeiro há 30 anos e afirma que há pelo menos três que a situação da orla recifense é crítica, destacando que a população é que sai prejudicada.


Prejuízo além do material, pelo menos para a família do auxiliar de serviços gerais Genilson Lucas de Morais, 49 anos, e seu filho Genilson Lucas Ramos de Morais, 20, vitimas fatais do afogamento. “Quando os bombeiros chegaram lá, não tinha equipamento e meu pai passou de 30 a 45 minutos vivo ainda, respirando. Se tivesse mais gente trabalhando, poderia ter dado suporte, meu pai teria sobrevivido”, diz Denilson Lucas Gomes de Morais, o outro filho de Genilson. A Folha procurou o Corpo de Bombeiros, mas até o fechamento desta edição não teve resposta. A família das vítimas fará um protesto na sexta e no sábado, no local onde o acidente aconteceu, para cobrar a presença de guarda-vidas.

 

 
ASPRA – PE verifica condições de trabalho dos salva-vidas
18/09/2016 12:00

Estamos no verão, época do ano em que as praias estão lotadas e o serviço é redobrado para os bombeiros, especialmente os salva-vidas. A Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA-PE) aproveitou o feriado desta segunda-feira (17.10) e foi até Boa Viagem para verificar as condições de trabalho da tropa e a estrutura dos postos. O presidente José Roberto Vieira e o diretor Salatiel Berto iniciaram a vistoria na Praça de Boa Viagem e seguiram até o Primeiro Jardim. A ação foi acompanhada por jornalistas da Rede Globo e do Portal G1 (Globo.com).

Logo no primeiro posto foi possível constatar o péssimo estado das bóias salva-vidas. Também não havia bandeira sinalizadora e o guarda-sol estava visivelmente desgastado. Sob um sol escaldante, os bombeiros tentavam proteger os corpos trajando camisas surradas, com pelo menos dois anos de uso. “Isso significa que os companheiros não estão devidamente protegidos dos raios solares, aumentando a possibilidade de desenvolvimento de câncer de pele”, comenta José Roberto.

Dos 11 postos, foram visitados nove. Desses, dois estavam abandonados e apenas o posto cinco tinha kit salvamento, também conhecido como a Bolsa do H (sinônimos de enrolação, de não servir para muita coisa). Nenhum tinha colete salva – vida, nenhum tinha bandeira ou sinalização. Existem  bombeiros que compraram suas próprias nadadeiras. No posto três, no Primeiro Jardim, só tinha um bombeiro (o mínimo são de dois bombeiros). No posto cinco (considerado o principal) e perto da Padaria Boa Viagem, tinha três bombeiros administrativos e dois salva vidas. Só tem um jet sky para toda a orla do estado. O outro está quebrado.

 

Tubarão

Outra descoberta importante da ASPRA – PE foi quanto ao fato de nenhum posto salva-vidas ter o repelente eletrônico de tubarão. Para quem não lembra, em 2004, os salva-vidas do grupamento marítimo do Corpo de Bombeiros de Pernambuco começaram a usar, pela primeira vez no país, um equipamento importado da Austrália que emite ondas eletromagnéticas num raio de quatro quilômetros para afastar tubarões.

Dotado de uma antena, trata-se de um escudo com eletrodos capazes de provocar choques no animal, que se retira da área. Na época, ou seja, há 12 anos, inicialmente foram adquiridas seis unidades, ao custo de R$ 4.190 cada uma, mas a idéia era ampliar os investimento de imediato a fim de garantir a segurança dos  bombeiros que fazem operações de resgate na orla marítima de Pernambuco, considerada área de risco. De acordo com informações repassadas na época, os banhistas que estivessem próximos aos salva-vidas, também ficariam protegidos.

 

“Nenhum dos postos que visitamos tinha o tal equipamento e a informação que tivemos é que estão em desuso. Ora, sabemos que o risco de ataque de tubarão é real na orla de Pernambuco. Em caso de ataque, como fica a situação do bombeiro? Entra na água, também correndo o risco de ser atacado ou cruza os braços e deixa o banhista a própria sorte?” questiona José Roberto Veira.  Todo o material será transformado em relatório a ser encaminhado ao Ministério Público.  

 

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.